Arquivo de etiquetas: GIÁRDIA

VERMINOSES DOS FELINOS

POSTADO POR M.V. RAQUEL REDAELLI.

Adaptado dos sites

http://www.webanimal.com.br e http://homeopatas.blogspot.com.br

O CONTROLE DE VERMINOSE NOS ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO É ESSENCIAL PARA A SAÚDE DELES E PARA A NOSSA! 

Verminoses são doenças causadas por vermes que se alojam principalmente nos intestinos, mas que também podem afetar outros órgãos como esôfago, estômago, coração, pulmões, rins e fígado. Os danos decorrentes da infestação dependem de diversos fatores, como a carga parasitária, a idade do animal, as condições imunológicas, o ambiente em que vive, as condições de higiene e manejo e o curso concomitante com outras doenças.

As infecções podem apresentar sintomas leves como apetite caprichoso, perda de peso, tristeza, aumento de volume abdominal, pelos opacos, fezes moles, coceira anal ou sintomas mais acentuados que demonstram o comprometimento mais sério de um ou mais sistemas orgânicos como anorexia completa, diarréias severas com sangue e/ou muco, vômitos, desidratação, anemia, ascite (barriga d’água), obstrução de orgãos ocos (estômago, intestino, esôfago e coração), artérias e veias, assim como intoxicações proporcionadas por toxinas produzidas pelos parasitas ou pela sua ação direta sobre tecidos e mucosas.

Muitas doenças sistêmicas ou dermatológicas têm insucesso no tratamento devido ao animal estar parasitado. Ainda, são problema de saúde pública, pois podem contaminar o homem (especialmente crianças). Aqui serão citados os mais comuns:

Toxocara sp. e o Toxascaris leonina são áscaris encontrados principalmente nos filhotes.  São vermes brancos e longos, que podem ser vistos nas fezes e em vômitos. No homem, a infecção é associada a lesões no fígado, rins, pulmões, cérebro e olhos.

O Ancylostoma tubaeforme pode ser adquirido pela ingestão de água ou alimentos contaminados e pela penetração das larvas através da pele. Os vermes adultos alimentam-se da mucosa intestinal, resultando em hemorragias. Os animais perdem sangue continuamente.

Dipylidium caninum é um cestóide adquirido através da ingestão de pulgas contaminadas. São parecidos com “grãos de arroz”, visualizados nas fezes ou ao redor da região anal do gato. O controle efetivo de pulgas previne a infestação.

O diagnóstico de todas essas espécies de vermes é feito através do exame de fezes ou visualização e reconhecimento dos mesmos. A vermifugação não precisa ser feita somente quando o animal estiver infectado, pode-se instituir uma rotina preventiva, fazendo tratamento 2 vezes ao ano, em todos animais e pessoas da casa. O ideal é realizar um exame parasitológico de fezes 2 vezes ao ano, e fazer o tratamento caso necessário, evitando, assim, uso desnecessário de medicamentos. O médico veterinário pode orientá-lo em relação aos medicamentos a serem utilizados para os gatos, dose e frequência.

Além dos vermes citados, é comum as infecções por protozoários, também transmissíveis ao homem (e vice-versa) que não são tratados com os vermífugos comuns, e sim com antibióticos específicos. O tratamento deve ser prescrito por médico veterinário. Esses protozoários são a Giárdia e o cisto Isóspora.

Giardia sp pode causar diarréia em filhotes ou fezes de coloração esverdeada ou com sangue em gatos adultos. O Isospora sp pode causar diarréia líquida e com sangue em animais jovens. Associado a outras doenças como as viroses, os protozoários podem agravar o quadro clínico do animal.