INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA EM FELINOS

Postado por M.V. Raquel Redaelli, a pedido da leitora Andréa. Adaptado de ”O Paciente Felino”, terceira edição.

               Para entender a Insuficiência Renal nos gatos, devemos entender qual a função dos rins e quais os exames que indicam a presença da doença.

               De maneira simplificada, os rins apresentam a função de filtrar do sangue as impurezas (toxinas e metabólitos) do organismo e eliminar pela urina. A creatinina é um metabólito derivado do metabolismo protéico e é excretada pelo rim. O aumento da creatinina indica que o rim não está conseguindo filtrar corretamente e eliminar as toxinas e metabólitos do organismo. O nível de creatinina se eleva quando cerca de 75% da função renal é perdida. É o teste mais específico e preferido para detectar a donça renal. Com a falha na filtração, esses metabólitos se acumulam no sangue e provocam uma espécie de “intoxicação”, deixando o gato nauseado, sem apetite, fraco, etc.

               Para um diagnóstico completo e para estimar fatores prognósticos da doença, além da creatinina, mensuram-se os níveis sanguíneos de uréia, exame qualitativo de urina e a relação entre proteína e creatinina urinária. Os sinais se tornam mais graves à medida que a creatinina e a uréia aumentam.

               A doença renal crônica é um processo que geralmente se inicia no gato jovem, e progride ao estágio de falência renal no gato idoso, quando vão aparecer os sinais clínicos. É considerado um processo esperado pelo envelhecimento. Pode também ser secundário a “agressões” constantes ao rim, como quimioterápicos, antiinflamatórios, baixo consumo de água, excesso de proteína na dieta, entre outros. 

               O termo “insuficiência renal” denomina o paciente com creatinina acima do normal, porém assintomático ou com sinais brandos de doença renal, como leve redução do apetite, leve perda de peso, polidipsia (aumento da ingestão de água) e poliúria (maior volume de urina), muitas vezes imperceptíveis ao proprietário. (veja texto “preste atenção aos sinais de doença do seu gato” para identificar os sinais clínicos que podem ser sutis, mas que podem ser indicativos de alguma doença)

               O gato que apresenta “falência renal” apresenta sinais de anorexia, náuseas, desidratação, letargia, poliúria, polidipsia e mucosas pálidas. Pode ocorrer vômito em fase mais tardia da doença. Os rins geralmente estão menores que o normal.

               DOENÇAS CONCOMITANTES: Deve-se prestar atenção à pressão arterial sistêmica dos gatos com doença renal, em qualquer estágio, pois a hipertensão está associada a mais de 50% dos gatos com doença renal crônica, sendo necessário instituir terapia hipotensiva. O hipertireoidismo, doença que acomete gatos idosos, aumenta a perfusão renal e pode mascarar a doença renal. Deve-se prestar atenção a esse fator quando iniciar o tratamento para o hipertireoidismo, pois com o paciente estabilizado, pode descompensar da doença renal. O risco de infecções do trato urinário aumenta em gatos portadores da doença.

 O TRATAMENTO deve ser instituído pelo médico veterinário de acordo com os achados clínicos e laboratoriais do paciente. O fator essencial para o tratamento da doença é a reidratação e estimular a diurese. A hidratação deve ser feita por via endovenosa em pacientes com níveis elevados de creatinina e pode ser feito subcutâneo (a longo prazo) quando o gato está estável. Outros fatores podem ser associados ao tratamento, de acordo com o quadro clínico do animal. Pode ser indicado tratamento de suporte (para amenizar os sinais clínicos presentes), dieta renal, suplementação de potássio (pois com a poliúria o gato elimina grande quantidade de potássio), inibidores da enzima conversora de angiotensina (IECA), quelates de fosfato (os níveis de fósforo ficam altos com a doença renal), vitaminas do complexo B, calcitriol, eritropoetina (enzima produzida pelo rim que estimula a produção de células vermelhas do sangue) e estimulantes de apetite.

               Normalmente não é possível fornecer um prognóstico definitivo sobre o resultado do tratamento no início da terapêutica. Com o manejo agressivo a longo prazo, o prognóstico da insuficiência renal é bom. Muitos pacientes estabilizam com níveis de creatinina próximos do normal e assim permanecem durante alguns meses, voltando a aumentar novamente. Esses gatos podem viver de um a três anos antes do aparecimento da falência renal.  Quando a falência renal cursa com anúria (não produção de urina), o prognóstico é grave. Deve-se prestar atenção para que seja mantida a qualidade de vida nesses gatos.

Essa é a Jeannie, a primeira gata da minha família. Ela faleceu em 2010 devido à falência renal, secundário ao tratamento quimioterápico realizado 2 anos antes devido a tumor de mama. Ela viveu 3 anos após o aparecimento do primeiro nódulo mamário!

Anúncios

5 responses to “INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA EM FELINOS

  1. Olá,

    infelizmente perdi a minha gatinha Lala ontem, por causa dessa doença terrível.Estou muito triste e abalada. Havia acabado de comprar uma caixa com 20 comprimidos de Kestosteril e mesma chegou hoje. Estou disposta a doar essa caixa para alguém que não tem condições de comprar o remédio, vou pedir somente o dinheiro do frete.
    Quem tiver interesse, meu email é: sah.hc@hotmail.com

  2. Márcia Tamura Rodrigues

    Agradeço muito todas as informações pois minha gata Persa Elise está em tratamento, onde em uma semana ficou muito desidratada e no sábado dia 08/02/14 levamos ela para fazer ultra-som e exame de glicemia em geral e constatou insuficiência Renal bem alterada! Começamos o Tratamento mediante a sua veterinária esperamos que ela melhore! Márcia tamura

  3. Olá, boa noite, tenho uma gata de 14 anos de idade que começou a apresentar uma crise vômitos seguidos, com depressão sobre a cama ( não levantava para nada), rejeição a comida e água. Ao Levar ao Vet, o mesmo pediu um exame laboratorial completo e todos os indicadores ( tgo,tgp, ureia creatina, hemograma) deram normais. A médica então prescreveu plasil com luftal, L-Cartinina e o soro eletrolítico para hidratação. Ela apresentou melhora Mudei a alimentação dela, procurei uma com menos sódio e fosforo por indicação da vet. Isso foi em Fevereiro deste ano. No entanto, agora em novembro ela apresentou outra crise, mais forte vômitos que em fevereiro era só a bile, agora vieram com sangue), urinou sangue também e seus vômitos antes inodoros ou apenas com o cheiro normal esta apresentando vômitos de odor fétido, levei na vet novamente e ela suspeita IR. Já que no toque a gata sentiu dores. Fizemos um hemograma ( não podemos fazer de enzimas, pq moro no interior da Bahia – Vitória da Conquista- e o laboratório em finais de semana só realizam exames “básicos”. O que me preocupa é que mesmo medicada (com anti-inflamatório Maxicam, Omeprazol e antimicrobiano) ela não vem apresentando melhora. Seu abdome esta edemaciado e com barulhos de gases (comecei a administrar luftal). No dia da crise administrei na veia (por recomendação médica) Ringer lactato com glicose e plasil ( 400ml). e ela está a aproximadamente 48h sem se alimentar e teve outro vômito fétido e marrom escuro ( ela já não deveria estar vomitando somente bile?). Na minha cidade não temos hemodiálise.. A unica coisa boa que vejo é que ela ainda consegue fazer xixi mesmo que pouco… Me ajude por favor… Isso são sinais pré-morte? Estou apavorada…

  4. ótimo me esclareceu muito.

  5. cecilia nakashima

    Foi muito esclarecedor a postagem. me ajudou demais. obrigada!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s