Category Archives: CURIOSIDADES

GATOS E SUAS UNHAS – CORTAR OU NÃO? COMO CORTAR?

Por Raquel Redaelli, adaptado de posts publicados no site ENCICLOPÉDIA DO GATO

Links originais:

http://enciclopediadogato.com/cuidados/unhas-cortar-sim-ou-nao/

http://enciclopediadogato.com/cuidados/unhas-como-cortar/

 veterinario gatos caxias 146
O corte da unha de gatos gera muita dúvida. Quando cortar ou não, eis a questão!

  • Gatos que não saem de casa devem ter as unhas cortadas obrigatoriamente?
  • Um arranhador pode substituir o corte das unhas?

O corte de unhas é um procedimento indicado somente para gatos que não tem acesso à rua, mas não é um procedimento obrigatório.

Gatos que ficam apenas dentro de casa não precisam ter as unhas compridas para escalar árvores e também não precisam se defender de predadores. Com isso as unhas acabam não sendo gastas pelo atrito das superfícies da natureza e o gato também pode engatar a sua unha em algum local da casa e terminar se machucando. Manter as unhas com pontas no ambiente domiciliar permite ainda que numa brincadeira (ou até num momento de agressividade) com os donos ou com outros animais possa causar arranhaduras graves. Manter as unhas aparadas também ajuda a preservar os móveis, pois mesmo que o gatinho arranhe a mobília, vai evitar que puxe fios do estofado.

Um arranhador para gatos ajuda muito no controle do crescimento das unhas. O arranhador também evita que as unhas fiquem curvadas, o que machuca o gato.

A unha dos gatos possui camadas, e durante a higiene pessoal do gato ele costuma “descascar” essas camadas e limpar as unhas.

A frequência do corte depende da velocidade de crescimento e de quanto o gatinho gasta as unhas. Pode-se cortar uma vez por semana até uma vez por mês. Uma dica simples é olhar com frequência se as unhas estão grandes e pontudas. Para isso, basta apertar os coxins entre os dedos (almofadinhas das patinhas).

14a

O seu gato permite que você se sinta seguro para cortar as suas unhas? Excelente. Mas saiba que existe um vaso sanguíneo que passa dentro da unha (área rosada) e por isso há um limite para o corte.

unha3

Coloque a unha do gato contra a luz e a corte somente até onde está indicado na foto abaixo. Faça o corte com cortador apropriado, vendido em pet shop. Depois disso, você pode usar uma lixa de unha para remover as lascas, caso necessário.

No caso de não conseguir ou ter receio de realizar esta tarefa, leve seu gato a um Veterinário.

corte-de-unhas-1

unha-gato-cortar

O gato possui cinco dedos nas patas dianteiras e quatro nas patas traseiras. Todas as unhas podem ser cortadas, mas não é obrigatório cortar as traseiras. Lembre-se de cortar as unhas dos “dedões” dianteiros, pois essas gastam menos, crescem e podem encravar.

Importante: não corte as unhas de gatos que saem à rua! Eles precisam delas para defender-se!

Anúncios

ACIDENTES FELINOS: 13 PRECAUÇÕES

Por Raquel Redaelli, M.V. Publicado na Revista Pulo do Gato, Especial 13 ANOS DE MUITA SORTE! Edição Novembro/Dezembro 2013.

pulo do gato nov-dez13

Os nossos bichanos podem se acidentar em diversas situações que nós nem imaginamos!

“A curiosidade matou o gato.” (Ditado popular). Quem nunca ouviu esse ditado que tem um grande fundo de verdade? Gatos são seres muito inteligentes e seletivos, mas também muito curiosos e exploradores, e como a vida intra e extradomiciliar contém diversos perigos, cabe a nós, tutores responsáveis dos nossos bichanos, evitar os acidentes. Muitos desses perigos podem levar a consequências fatais.

INTOXICAÇÕES

1. MEDICAÇÕES: Nunca medique seu gato sem orientação médica. O maior número de intoxicações em felinos está relacionado ao fornecimento de paracetamol e ao uso de produtos para pulgas não indicados para gatos!

MEDICAMENTOS HUMANOS QUE NUNCA DEVEM SER OFERECIDOS AOS BICHANOS:

  • Paracetamosl (Tylenol)
  • Diclofenaco (Cataflan)
  • Ibuprofeno (Alivium)
  • Fenazopiridina (Piridium)
  • Ácido mefenâmico (Ponstan)
  • Fleet enema

MEDICAMENTOS QUE DEVEM SER USADOS COM CAUTELA:

  • Antiinflamatórios não esteroidais em geral (cetoprofeno, meloxican)
  • Ácido acetilsalicílico (AAS, aspirina)

2. ALIMENTAÇÃO: Os felinos podem apresentar quadros de intoxicação ao ingerir alguns alimentos que não são destinados a eles. Por isso, tome muito cuidado com alimentos como:

  • Alho
  • Cebola
  • Tomate (mesmo que não seja puro nem cru)
  • Chocolate
  • Abacate
  • Uvas

3. OUTROS PRODUTOS: Evite que os bichanos mantenham contato direto e retire-os do local de aplicação de:

  • Produtos de limpeza
  • Adubos e agrotóxicos
  • Produtos químicos (tintas, solventes, cloro, etc)

4. PLANTAS TÓXICAS: Muito cuidado com as plantas, já que muitos gatos gostam de comer “verdinhos”. Certifique-se de que as que você tem em casa não provocam perigos. Dentre as plantas tóxicas, podemos citar:

  • ciclame, hera, lírio-da-paz, jibóia-prateada, cheflera, sagu-de-jardim, mamona, amarílis, espirradeira, folha-de-veludo, tulipa, azaléia, teixo, samambaia, renda-portuguesa, espada-de-são-jorge e comigo-ninguém-pode.

veterinario gatos caxias - causa felina

ACIDENTES DOMÉSTICOS

A tutela responsável nos obriga a zelar pela segurança dos nossos animais de companhia. Os acidentes mais comuns e mais graves são a ingestão de fios e linhas e a queda de grandes alturas. Por isso, é preciso ficar atento a vários detalhes.

5. LUGARES FECHADOS: O felino gosta de entrar em armários, gavetas, caixas, malas, baús, e até em máquinas de lavar roupas e fornos, podendo ficar trancado ou se machucar. Ele também gosta de investigar sacolas, correndo o risco de sufocamento.

6. PLÁSTICOS: Os gatos têm atração por mastigar materiais que fazem barulho, principalmente plásticos. No entanto, caso engulam esses itens, eles podem engasgar ou apresentar obstrução intestinal.

7. LINHAS, FIOS DE LÃ E BARBANTES: Os bichanos adoram brincar com fios, mas podem acabar ingerindo-os. É comum o fio prender embaixo da língua e não ser deslocado pelo trânsito intestinal, provocando aderência do intestino, obstrução e peritonite. Além disso, onde tem uma linha, pode ter uma agulha, que também poderá ser ingerida e causar perfuração intestinal.

8. FOGÕES, ESTUFAS E LAREIRAS: Alguns gatos gostam tanto de aquecimento que chegam muito perto das fontes de calor e acabam se queimando. Tenha um cuidado especial com fogões à lenha e lareiras, pois o bichano pode pular em cima e queimar as patinhas.

9. JANELAS E SACADAS: É imprescindível a instalação de redes de proteção em apartamentos, pois o felino adora estar em locais altos. Ele pode se distrair ou tentar caçar e, consequentemente, se desequilibrar e cair. Todas as alturas proporcionam riscos, assim, mesmo quem mora em andares baixos deve colocar a rede, pois, além de segurança para os bichanos, é uma tranquilidade para os humanos.

10. OBJETOS CORTANTES: Muito cuidado com alfinetes, facas, tesouras, vidros, etc.

ACIDENTES EXTRADOMICILIARES

Os gatos que tem acesso à rua estão sujeitos ainda a outros tipos de acidentes e doenças, muitas vezes mais graves. Os bichanos que possuem vida livre podem aproveitar melhor seus instintos, mas as consequências disso devem ser bem avaliadas pelos responsáveis.

11. AUTOMÓVEIS: Os gatos podem dormir perto do motor do carro enquanto ele ainda está quentinho. Mas quando o motorista dá a partida, o animal pode sofrer queimaduras e ser “transportado” sem que ninguém perceba. Além disso, são muito comuns os atropelamentos, mesmo que os gatos sejam rápidos e ágeis.

12. ATAQUES: Os bichanos que andam pelas ruas estão sujeitos a ataques de cães e brigas com outros gatos, além de maus-tratos realizados por crianças e adultos.

13. DOENÇAS: As doenças mais graves são as transmitidas entre gatos, sendo a AIDS (FIV – Vírus da Imunodeficiência Felina) e a Leucemia (FeLV – Vírus da Leucemia Felina) causadas por retrovírus e sem cura.

O TATO DOS GATOS

Por Joice Peruzzi, médica veterinária especialista em Comportamento Animal.  

http://www.petestar.com.br

Publicado na Revista Pulo do Gato, edição 78, Novembro/Dezembro 2013.

veterinario gatos caxias 81

Assim como a visão e o olfato, o tato é um importante sentido para o espírito caçador dos bichanos, além de preveni-los contra situações dolorosas.   

        O que seria de nossa rotina sem o “momento carinho do dia”? Afagar os bichanos é uma terapia e a interação com eles é fundamental para o bem-estar da relação gateiro-gatinho. Mas você já imaginou fazer um carinho no seu filhote de quatro patas e ele não apresentar nenhuma reação? Seria estranho, não? Então agradeça ao tato, pois é através desse sentido que o felino reconhece os estímulos externos e reage a eles.

          Os sensores táteis espalhados pelo corpo do gato podem trazer informações de temperatura, pressão, toque, texturas, vibrações, velocidade e direção de correntes de ar, auxiliando nas atividades diárias, como a caça, e garantindo a sua sobrevivência graças ao sistema de termorregulação e da percepção da dor.

DESENVOLVIMENTO

          O tato é um dos sentidos presentes nos gatinhos recém-nascidos (neonatos), juntamente com o olfato, devido à sua importância na orientação do filhote para encontrar a mãe e os irmãos. Através do reflexo de fossamento, que associa os sentidos do tato e do olfato, o gatinho fuça à procura do seio da gata para mamar.

        A regulação térmica no recém-nascido é insuficiente, por isso a gata tem cuidado intensivo nos primeiros dias da vida, mantendo todos os filhotes aquecidos e juntos de si.

       Conforme o filhote cresce, há um maior desenvolvimento dos outros sentidos e também do tato.

CARINHO

         Batidas delicadas e afagos são as carícias favoritas dos gatos, pois estimulam os receptores táteis de todo o seu corpo. A tolerância ao carinho e preferências quanto ao tipo de carícia variam individualmente, e dependem de diversos fatores, como idade de desmame, socialização e genética.

           A maioria dos gatos não tolera ser apertado, apenas segurado firmemente e com seu apoio assegurado. Para a maioria dos procedimentos com gatos é indicada a contenção mínima.

VIBRISSAS: OS FAMOSOS BIGODES

         Além dos receptores táteis presentes em todo o corpo do gato, existem pelos modificados que também atuam como grandes receptores ambientais: as vibrissas, vulgo bigodes.

            Os gatos possuem vibrissas nas seguintes regiões: bucal, bochechas, acima dos olhos, queixo, carpos (região das patinhas).

            Cada uma das vibrissas possui folículo próprio que é cinco vezes maior que o folículo de um pelo comum, preenchido com sangue e com muitos receptores neurais, além de ter musculatura própria que possibilita a sua movimentação.

          Esse sistema permite ao gato captar as mais leves mudanças nas correntes de ar, o que o ajuda na locomoção, especialmente no escuro, e a caçar. O menor movimento de uma presa próxima ao gato pode ser captada por suas vibrissas, facilitando a caça em situações de visão comprometida.

           A perda das vibrissas torna o gato mais dependente da visão para a caça, mas não o deixa em desequilíbrio ou desestabilizado como muitos afirmam. De qualquer forma, por ser um importante meio de localização em determinadas circunstâncias, o corte das vibrissas não é indicado.

DOR

          Outra função importante dos receptores táteis é afastar o gato de situações que causem dor, ou seja, quando há a percepção de uma lesão tecidual de qualquer origem. O limiar de dor varia de gato para gato.

TEMPERATURA

Os gatos têm menor sensibilidade ao calor do que os humanos. No entanto, há uma importante sensibilidade nasal a mudanças pequenas de temperatura.

Reações de evitação são observadas a partir de 51‘’C (em humanos essas reações aparecem em torno de 44‘’C).

Essa falta de sensibilidade é o que faz alguns bichanos procurarem o calor de um motor de carro ou a proximidade do fogo, chegando a chamuscar seu pelo sem desconforto maior.

HAPPY HALLOWEEN!!! DIA DAS BRUXAS x GATO PRETO

halloween

DIA DAS BRUXAS X GATO PRETO

http://carosfelinos.blogspot.com.br/2010/10/dia-das-bruxas-x-gato-preto.html

Não é de hoje que algumas pessoas envolvem mitos e superstições sobre gatos pretos. Ao longo da história gatos pretos traziam má ou boa sorte, anunciavam mortes, infelicidades. E, o pior, é que tem gente que acredita e aproveita para desforrar o termo ‘travessuras’ em cima dos pobrezinhos.
 

Hoje, Halloween ou no Brasil, Dia das Bruxas, é fácil assimilar a data com a figura do bichano de coloração preta. Mas cuidado para se deixar levar por tal tradição, que foi modificada com o tempo, as culturas, países, pessoas, enfim… que é um crime disfarçado de tradicionalismo.

Então, nada de superstições, e vamos comemorar a data com o melhor que uma festa pode oferecer…
Beijos e Gostosuras e Travessuras (responsáveis!) para todos…Alguns mitos e curiosidades sobre gatos pretos…

=!= Nos tempos antigos, os gatos pretos eram originalmente idolatrados pelos Egípcios. Acreditava-se que a deusa egípcia Bast assumia a forma de um gato preto. Muitos antigos egípcios adotaram um gato preto na esperança de que ela acabaria por se tornar parte do espírito do animal e, posteriormente, traria riquezas e prosperidade à sua família.

 
=!= Durante o século XV, os gatos pretos começaram a ter uma má reputação como resultado da sua associação com as bruxas. Acreditava-se que as bruxas que tinham um gato preto, depois de mortas encarnariam no gato, preservando assim os seus poderes sobrenaturais que poderiam ser utilizados para feitiços.
 
=!= O rei D. Carlos I, membro da monarquia britânica, possuía um gato preto que ele considerava ser o seu amuleto da sorte, a tal ponto que insistiu que o gato seria vigiado 24 horas por dia. 
 
=!= No Japão o gato preto simboliza boa sorte. Na Escócia, por exemplo, um gato preto à varanda é um forte sinal de riqueza e prosperidade a caminho. 
 
=!= De acordo com a lenda, as mulheres dos pescadores mantinham um gato preto em casa enquanto os seus maridos iam para o mar, para trazer sorte e assegurar o seu regresso em segurança.

PROVÉRBIOS DE GATOS

PUBLICADO NO SITE http://www.osgatos.com.br

LINK ORIGINAL http://osgatos.com.br/artigos/proverbios-de-gatos.html

É fato que os gatos fazem parte da história e da cultura de muitos países. Por isso, trazemos para você uma seleção de provérbios populares em todo o mundo. Aproveite!

“Você sempre vai ter sorte se você sabe como fazer amigos com gatos estranhos.” Provérbio Colonial

“No olho do gato, todas as coisas pertencem aos gatos.” Provérbio Inglês

“Cuidado com as pessoas que não gostam de gatos.” Provérbio irlandês

“Um gato velho não vai aprender a dançar.” Provérbio marroquino

“À note, todos os gatos são pardos.” Provérbio Norte Americano

“Um gato pode olhar para um rei.” Provérbio Inglês

“Proprietário feliz, gato feliz. Proprietário indiferente, gato solitário.” Provérbio chinês

“Feliz é a casa com pelo menos um gato”. Provérbio italiano

l“O cão para o homem, o gato para a mulher”. Provérbio Inglês

“Eu dei uma ordem para um gato, e o gato me deu a sua cauda”. Provérbio chinês

“Os gatos, moscas e as mulheres estão sempre em seus banheiros”. Provérbio Francês

“Um gato mordido uma vez por uma cobra teme até mesmo corda” Provérbio Árabe

“O gato é a beleza da natureza”. Provérbio Francês

“Livros, gatos e meninas loiras são a melhor decoração para um quarto”. Provérbio Francês

ALERGIA A GATOS

ENTREVISTA COM A DRA. LAILA MASSAD RIBAS, MÉDICA VETERINÁRIA E AUTORA DO PORTAL MEDICINA FELINA (http://portalmedicinafelina.com.br/).

PUBLICADO NO SITE http://www.gateiro.com LINK http://www.gateiro.com.br/entrevista-alergia-gatos/

veterinario gatos caxias - mima2

1) Por que algumas pessoas têm alergia a gatos?

O processo alérgico é uma resposta exacerbada do sistema imunológico frente ao contato com um determinado alérgeno, que pode ser um alimento, uma substância inalada ou algo que entre em contato direto com a pele de alguém.

A saliva dos gatos possui uma proteína chamada fel d1. Algumas pessoas são alérgicas a essa proteína e a sensibilidade varia de indivíduo para indivíduo. Como os gatos se lambem muito para manter a higiene, é natural que sua pelagem contenha altos níveis de fel d 1. Uma pessoa alérgica à fel d 1 pode se sensibilizar apenas ao entrar no mesmo ambiente que um gato. Outras já podem ficar sensíveis somente ao passar a mão no bichano.

2) Esse tipo de alergia tem origem genética?

Sim, a predisposição a qualquer alergia possui também origem hereditária.

3) É possível desenvolver a alergia ao longo da vida?

Ao longo da vida aumenta a quantidade de vezes que a pessoa entrou em contato com o alérgeno. Isso a torna mais sensível e a reação imunológica pode aumentar.

4) Há fatores que podem tornar a alergia mais forte?

Gatos pretos, machos e/ou não castrados possuem maior quantidade de proteína fel d 1 na saliva, mas outras cores ou até mesmo gatos sem pelos, como o Sphynx, também podem desencadear a alergia.

5) Essa alergia têm cura?

Existem algumas vacinas que podem dessensibilizar a pessoa, que deixa de ser alérgica.

6) Como é possível prevenir ou minimizar um ataque alérgico desse tipo?

Banhos semanais nos gatos ajudam a minimizar a quantidade da proteína no pelo e pode ajudar a convivência com os alérgicos. No ambiente é sempre bom evitar tapetes, carpetes e cortinas e manter uma higienização constante para reduzir a quantidade de alérgenos.

OBS. (por Raquel): Existe hoje no mercado um produto para uso tópico em cães e gatos que remove detritos e sujidades da pele, como restos de saliva e urina e aumenta o peso das partículas, impedindo que flutuem no ambiente.

7) Uma pessoa alérgica a gatos também têm alergia a outros animais?

Não necessariamente. O recomendado pelos médicos é realizar testes alérgicos para descobrir quais são os alérgenos que prejudicam a pessoa.

veterinario gatos caxias 182

O Prof. Dr. Eduardo Massad, da Faculdade de Medicina da USP, colaborou com essa entrevista. Ele também é pai da Dra. Laila.
Foto: Flickr – Alfio.biz

GATOS COM ASAS?

BEM ESTRANHO…. MAS MUITO INTERESSANTE!!!

Publicado no Blog 100nexos, de Science Blogs, por Kentaro Mori. 

Artigo original no link: 

http://scienceblogs.com.br/100nexos/2007/06/gatos-com-asas-a-nada-terrvel-verdade/

                “Um gatinho, pertencente ao chinês Granny Feng, criou longas asas. No começo o dono achou que fossem apenas caroços, mas depois de um mês os ossos cresceram e os membros ficaram parecendo duas asas. Feng contou que as asas começaram a se desenvolver depois que o gato foi assediado sexualmente por algumas gatas há alguns meses”.

veterinario gatos caxias - gatos com asas - scienceblogs

                  Gatos com asas são uma realidade, mas a nada terrível verdade é que os apêndices não são asas de verdade. Como muitos podem imaginar, algumas “asas” são apenas bolos de pêlo, ou malformações congênitas — isto é, os felinos nascem com membros a mais. Nada disso seria muito interessante, o que é interessante é que a terceira explicação para gatos alados é uma condição chamada astenia cutânea felina (FCA), ligada inicialmente ao fenômeno dos gatos com asas pelo inglês Karl Shuker.

                  A condição, que tem uma contraparte em humanos, faz com que a pele se torne extremamente elástica, como borracha. Ela pode acabar se esticando em longos apêndices, e em gatos, os apêndices de pele — sempre surgindo ao redor das costas — podem manter alguma ligação com músculos. Quando os gatos correm, podem gerar a cena inusitada de felinos batendo suas “asas”.

              Se estendidas demais, as “asas” dos gatos podem se desprender, sem sangramento ou dor ao bichano, e seu aspecto é como de uma fibra dura de cartão, o que pode ter levado o chinês Feng a pensar que tinha ossos. Abaixo, fotografia de um caso inglês dos anos 1970:

veterinario gatos caxias - gatos com asas 2 - scienceblogs

  O artigo de Sarah Hartwell em Messybeast (http://www.messybeast.com/winged-cats.htm) tem uma grande série de informações e imagens, já a fotografia acima é original do artigo de Shuker na revista Fortean Times 168. Gatos com “asas”, acredite se quiser, são tão reais quanto pessoas ou coelhos com “chifres” na cabeça.